Archive for novembro, 2010


Desapego

Letícia Thompson

É quando nos preparamos para mudar que percebemos a quantidade de coisas que guardamos sem necessidade. Nem sabemos por que o fazemos, mas temos medo de um dia precisar disso ou daquilo e vamos acumulando nossas preciosidades, se assim podemos dizer.

Grande armário é o nosso coração e a nossa alma! Imagino que se um dia tivéssemos que “mudar” esse pedacinho de nós, encontraríamos nele muitas coisas desnecessárias das quais tivemos dificuldade para nos desvencilhar.

Como nos nossos armários há roupas que nem nos cabem mais, nas gavetas objetos inúteis, há nesse nosso coração certamente sentimentos que há muito deixaram de nos servir, mas que continuam intactos, como se o tempo para eles não tivesse passado.

As águas correm nos rios, mas não no nosso interior. Elas levam o que encontram pela frente, mas nós nos apegamos ao inútil e nos impedimos assim de desembocar no grande mar da vida que nos oferece novos horizontes.

Se um dia decidirmos mudar de casa e nos oferecermos uma nova vida, não precisamos deixar tudo e nem carregar tudo. Um coração sábio saberá escolher o que deve ser aproveitado ou não. Os carinhos que recebemos permanecerão intactos, mesmo se as flores se secaram e as cartas se perderam.

Antigas e amareladas mágoas nunca têm utilidade, a não ser para envelhecer e entristecer nossa alma. Coisas que começamos e nunca terminamos ou continuamos, ou desistimos. Não é vergonhoso deixar coisas para trás, pesado mesmo é seguir em frente carregando essas mesmas coisas que nem sabemos onde vamos colocar.

Valioso demais é nosso coração para que seja maltratado, para que seja a ele negada a chance de se oferecer novas oportunidades e novos ares.

Cultivar no seu jardim a flor do desapego não significa amar menos ou deixar de apreciar o que de bom a vida nos oferece. Apenas mudar nosso olhar em relação ao mundo e se dizer que as coisas realmente bonitas e importantes ficam gravadas para sempre nas paredes da nossa alma, seja qual for nosso caminho…

Medicina Indiana é o futuro

Dr Partap Chauhan*

A vida moderna nos oferece muito conforto e luxo. O ritmo de vida tem aumentado constantemente, especialmente nas últimas duas décadas. Novos gadgets e equipamentos foram inventados para nos ajudar a trabalhar mais rápido e viajar para lugares distantes em um curto espaço de tempo. A tecnologia nos permitiu trabalhar mais em menos tempo e crescer materialmente. A revolução cibernética eliminou fronteiras e há mais oportunidades para o crescimento econômico. A medicina moderna muniu-se de ferramentas diagnósticas e terapêuticas potentes, capazes de identificar doenças com bastante precisão e, em muitos casos, suprimi-la.

Todas essas maravilhosas invenções dos tempos modernos foram originalmente descobertas para enriquecer nossa vida com saúde, felicidade e paz. Curiosamente, os resultados são totalmente opostos. Em nossa busca pela felicidade, saúde, paz e amor, encontramos mais doenças, distúrbios mentais, infelicidade e solidão. Isso significa que estamos indo na direção errada ou então não estamos identificando a raiz do problema.Caso contrário, estaríamos alcançando aquilo pelo qual lutamos… É hora de respirar fundo, relaxar e pensar para onde estamos indo.

Saúde não é apenas a ausência de sintomas ou desconforto físicos. O Ayurveda define a saúde como um estado de completo equilíbrio num nível físico, mental e espiritual. Enquanto o mundo moderno nos oferece soluções para o conforto do corpo e dos sentidos, essas “soluções” são realmente perturbadoras para a mente e são frustrantes para o espírito. Quando a mente está perturbada e há falta de amor em nossas vidas, são criados bloqueios e desequilíbrios em órgãos e sistemas físicos. É por isso que os nossos esforços para tornar-mo-nos saudáveis não estão funcionando e um caminho para resolver nossos problemas é Ayurveda, a medicina tradicional indiana.

O Ayurveda é definido como uma combinação de corpo, mente, sentidos e espírito. Cada um de nós tem um corpo, uma mente e um espírito, mas quase nada sabemos sobre eles. É como se estivéssemos dirigindo um carro sem saber muito sobre como ele funciona, qual tipo de combustível é o mais indicado ou, até mesmo, sem uma licença de motorista. O que aconteceria em tal situação? Certamente resultaria em grande número de acidentes! Isto é o que está acontecendo em nossas vidas. Não sabemos o quanto comer, quando e o quanto dormir, como relaxar a mente, como nutrir as emoções, como nos relacionarmos e qual o melhor alimento para o espírito. Tal como o exemplo do carro, temos também “acidentes”, como diabetes, hipertensão, doenças auto-imunes, divórcios, depressão, traumas emocionais.

Como se vê, hoje as nossas doenças não estão limitadas apenas ao corpo. Mais e mais pessoas estão sofrendo nos níveis mental e emocional. Para tratar essas doenças é preciso enfrentá-los no local de sua origem. Nós não somos ainda capazes de suprimir os sintomas físicos de doenças porque são alimentados a partir de um nível sutil. Se queremos ver um mundo saudável, isso vai acontecer apenas através do Ayurveda, porque este é o único sistema médico, que atende ao ser humano em sua totalidade (corpo, mente, emoções, espírito).

Vai demorar mais alguns anos até que o mundo perceba o poder maravilhoso do Ayurveda. O que muitos não sabem é que a maioria dos sistemas médicos existentes está enraizada no Ayurveda, “mãe” de todos os sistemas de saúde. A medicina indiana não se limita apenas ao óleo de massagem (abhyanga) e ao shirodhara como a maioria das pessoas pensa. Ao contrário, abre um leque de soluções em todos os níveis do indivíduo e identifica soluções coerentes e de acordo com as necessidades de cada um.


* Dr. Partap Chauhan (BAMS) formou-se em Ayurveda na Universidade de Delhi, Índia, estudando posteriormente com o renomado mestre do Ayurveda Sri Nanak Chand, especialista em Rasa Shastra. Embora pratique uma ciência médica muito antiga, Dr. Chauhan otimiza o uso de tecnologia moderna com o objetivo de levar o Ayurveda a todos os lugares do mundo. Ministra regularmente palestras e workshops em mais de 30 países.

Rudyard kipling

‘Se és capaz de conservar o teu bom senso e a calma,quando os outros os perdem,e te acusam disso,Se és capaz de confiar em ti,quando de ti duvidam e, no entanto,perdoares quem duvidem,Se és capaz de esperar,sem perderes a esperança e não caluniares os que te caluniam,Se és capaz de,sendo odiado,dar ternura,Tudo sem pensar que és sábio ou um modelo dos bons,Se és capaz de sonhar,sem que o sonho te domine,e pensar,sem reduzir o pensamento a vicio,se és capaz de ouvir a verdade que disseste,transformada por canalhas em amardilhas aos tolos,Se és capaz de ver destruido o ideal da vida inteira e constri-lo outra vez com ferramentas gastas,Se és capaz de arriscar todos os teus haveres num lance corajoso,alheio ao resultado,e perde começar de novo teu caminho,sem que ouça um suspiro quem seguir ao teu lado,Se és capaz de forçar teus músculos e nervos e fazê-los servir se já quase não servem, sustentando-te a ti quando  nada em ti resta, a não ser a vontade que diz: Enfrenta! Se és capaz de falar ao povo e ficar digno ou se passear com reis conservando-te o mesmo,se não pode ablar-te amigo ou inimigo e não sofrem decepção os que  contam contigo,se podes preencher todo minuto que passa com sessenta segundos da tarefa acertada,se assim fores,meu filho,a terra será tua,será teu tudo o que nela existe

Mas(ainda melhor que tudo isto)
Se assim fioes,Serás um HOMEM”
Rudyard kipling

 


 

PARA QUEM PROCURA A CASA DOS SEUS SONHOS
PROCURA-SE CASA:

com janelas enormes por onde o Sol nunca se ponha a dormir no horizonte; de portas bem largas e abertas escancaradas para a Lua a brilhar constante no firmamento;
sem grades a esquartejar os ventos que passam, trazendo sementes de alegria; com muros altos de bungavílias a enfeitar, com suas cores, os limites que só existem nos laços que se transformam em nós cegos.
Uma casa sem medo de ser invadida.
Precisa-se de uma casa, cujas paredes sejam feitas de abraços, mistura de cimento de carinhos e tijolos de afeição.
Uma casa com pisos de madeira perfumada, lembrando aromas de flores e campos transformados.
Uma casa com escadas que conduzam a um sótão de sonhos armazenados.
Procura-se uma casa ampla com espaços para acomodar o desejo de viver na tranqüilidade, no sossego.
Uma casa pintada de branco com nuances de paz e raios de luz por todos os cantos.
É imprescindível que possua claridade transparente.

Uma casa com amores-perfeitos plantados no jardim e gerânios, ao redor dela, acariciando as pedras dos seus alicerces.
Algumas roseiras são indispensáveis.
Além do mais, necessário é que exista um banco com nomes gravados a canivete com juras de eternidade.
E, que junto a esse banco, haja uma árvore com galhos cheios de ninhos de pássaros.
O entardecer requer gorjeios melodiosos e a manhã exige o despertar sonoro de aves várias.
Procura-se uma casa que tenha, em seu interior mais secreto, uma lareira constantemente aquecendo o inverno e, no teto, uma clarabóia imensa por onde se possa ver as estrelas nas noites de verão.
Mas só se fecha negócio se houver um quintal, nos fundos da moradia, com tesouros escondidos de infâncias múltiplas e antigas que, ainda, ninguém descobriu.
Precisa-se de uma casa de memórias guardadas porque é urgente desenterrar lembranças.
O tempo passa veloz e quer levar consigo histórias para contar.
Preciso escrevê-las!

As três pessoas 

Todos temos três pessoas dentro de nós: um lutador,
um monge e um artista. O artista é muito importante.
O artista pode trazer frescor, um significado para a vida,
alegria. O líder espiritual pode trazer lucidez, calma e visão
profunda. E o lutador traz a determinação de ir em frente.
Temos que mobilizar todas essas três pessoas dentro de
nós e nunca deixar nenhuma delas morrer ou ficar fraca.

-Thich Nhat Hanh
Mestre zen e poeta


Certo dia, perguntou-me um homem:
Poeta, qual tua Religião?
A ele respondi:
“Minha religião é o Amor.”
Mas, não freqüentas templos ou rituais?
Indagou-me o homem.
Eu lhe disse:
“Meu templo é Toda a Natureza
E meu Ritual é o Silêncio de meu Coração.”
Não satisfeito, indagou-me o homem:
E Deus… que é Deus para ti?
Eu apontei para cima, para o firmamento.
Era noite e as Estrelas Divinas reluziam no alto.
“Eis DEUS, disse-lhe.”

(Awmergin, o Bardo)

Superaçäo

Se olharmos objetivamente nossa realidade, veremos que existem pessoas que nos magoam, que nos tratam mal, que são desleais etc. Entretanto, subjetivamente, somos nós que atraímos pessoas e acontecimentos negativos, pela propagação de ondas também negativas. As ondas emitidas pelo pensamento, palavras e atitudes nos trazem o retorno correspondente. E como este retorno se processa? Na mesma moeda? Nem sempre. Muitas vezes alguém nos fere emocionalmente e tem seu retorno no lado material, por ser este o seu ponto vulnerável naquele momento.

Muitas pessoas têm retornos negativos sem “motivo aparente”, tais como angústia, depressão, melancolia, sentimento de solidão etc. É muito comum afirmarem: não entendo porque acontece tanta coisa ruim para mim … eu não faço mal a ninguém … etc. Na realidade, fazem mal a si mesmas com seu próprios pensamentos, mas não têm consciência de sua mente negativa e acham mais fácil culpar terceiros.

Mais modernamente, as ondas emitidas pelo pensamento vêm sendo abordadas pela chamada Física Escalar. Salvatore de Salvo, em sua obra “Sinfonia da Energética”, nos explica a teoria das energias virtuais e das ondas escalares que esclarecem até os fenômenos da telepatia e da radiestesia.

Da mesma forma, esta teoria explica as ondas do pensamento e seus retornos. Assim, se você pensa ou fala uma frase negativa, o retorno será também negativo, em forma de situações ou pessoas. Até aquela “puxada de tapete” que levou em sua vida foi criada por você. Mas a tendência é “apontar o dedo” para os outros, quando deveria voltá-lo para si mesmo.

A crítica, uma das vibrações negativas mais comuns, é responsável por uma série de situações ou pessoas negativas que atraímos. O orgulho, o autoritarismo, a intolerância, a impaciência, a vaidade excessiva do EGO etc., são expressões corriqueiras, mas responsáveis pelos acontecimentos negativos que deparamos ao longo de nossa vida.

E como melhorar? Primeiramente, é preciso se conhecer profundamente, para, em seguida, escolher e aplicar uma ferramenta adequada à sua autotransformação.

Inicie sua auto-análise perguntando-se: eu sou uma pessoa positivista?

Antes de responder, analise as seguintes situações comuns:

1. Quando alguém lhe pergunta COMO VAI? Você responde: “mais ou menos”, “vou indo”, “vou vivendo”, “levando” ou desata a contar a todos os seus problemas. Se você se encaixa nessas situações ou similares, vai continuar MAIS OU MENOS, INDO, LEVANDO, VIVENDO como sempre, além de agravar os seus problemas por estar emanando repetidamente as respectivas ondas negativas cada vez que fala com alguém.

2. Quando fica doente, conta para todos, numa tentativa (consciente ou inconsciente) de atrair atenção (e a compaixão) pela dor? Se procede desta maneira, sua auto-estima deve estar muito baixa. É possível atrair a atenção (e a admiração) pelas suas qualidades que, com certeza, devem ser muitas.

3. No ambiente de trabalho, quantas vezes se flagrou pensando: “ninguém me dá o justo valor”, “trabalho como um burro de carga e ninguém reconhece”, “ele não faz nada e ganha muito mais do que eu, que injustiça”, “ele é um incompetente”, “esta empresa é uma droga” e outras que você já deve ter se lembrado.

Já lhe ocorreu que as pessoas ao seu redor REAGEM às ondas que você emite? Como quer ser reconhecido, ganhar mais, trabalhar numa empresa melhor, atrair bons colegas etc., se dentro de você existem apenas críticas e lamentações? Que ondas você está emitindo, positivas ou negativas?

4. Na área afetiva, quantas vezes se flagrou pensando “ninguém me ama”, não consigo ter alguém”, ” fulano ou fulana vive me magoando”, “pensa que me engana”, “aposto que está mentindo”, “quanta cobrança”, “assim não dá”, “se quiser, vai ser assim”, “no início era gentil, agora …”, etc.

Como pode almejar um relacionamento harmonioso se não acredita em você e em seu parceiro ou parceira? Como quer ser amado ou amada se não se ama? Como deseja ter alguém, se não faz concessões? Como quer fidelidade se não acredita que isto seja possível?

No início falamos em crenças absorvidas de nosso meio, lembra-se? Quando era criança, quantas vezes ouviu de seus pais “você não faz nada direito”, “esta conversa é de adultos, retire-se”, “você é irresponsável”, “não adianta mesmo, você não aprende” etc. As críticas sempre foram muito mais enfatizadas do que os elogios. E se já tem filhos, quantas vezes falou o mesmo para eles, quantas críticas foram feitas em relação a cada elogio?

Assim, como alguém tão humilhado e desvalorizado poderá se tornar uma pessoa positivista?

Ainda no ambiente familiar, quantas vezes presenciou discórdias entre seus pais? E quantas vezes os presenciou namorando? Qual foi a imagem que eles projetaram da vida, fácil, agradável ou dura e difícil? E se você já tem filhos, qual é a imagem que está projetando para eles?

Como você está neste momento de sua vida? Feliz, saudável, satisfeito sob todos ou quase todos os aspectos? E você acredita que isto é possível? Ou costuma afirmar que “não se consegue tudo na vida, quando um lado está bom, o outro despenca” ou ” até que enfim algo de bom está acontecendo para COMPENSAR o resto”. Então você acredita que o bom somente existe como forma de compensação?

Finalmente, reflita sobre os aspectos positivos de sua vida. Você consegue enxergá-los mesmo em situações bastante complexas? Ou presta mais atenção aos aspectos negativos? Quando se lembra do passado, fica remoendo os maus acontecimentos ou adora se lembrar dos bons? Você agradece, antes de dormir, por tudo de bom que lhe ocorreu ou dorme pensando nos problemas?

Depois desta análise, responda-me, você é uma pessoa positivista?

Desenvolva sua percepção e mude seus padrões mentais:

Em todas as situações, por mais desagradáveis que sejam, existem sempre três lados: o negativo, que a maioria enxerga, o positivo, que raramente conseguem ver, e o terceiro lado que corresponde à MENSAGEM do momento, que nada mais é do que a LIÇÃO a ser aprendida.

Comece a prestar mais atenção nas situações que vivencia ou faça uma retrospectiva de sua vida. Tente perceber esses três lados e os seus EFEITOS no presente. Não se esqueça que o passado é imutável, mas seus efeitos podem ser trabalhados a qualquer instante. O mais importante é investir agora, em seu PRESENTE, que é a preparação para seu FUTURO.

Como exercício para o desenvolvimento de sua percepção, sugiro tirar algumas fotos de uma paisagem, em diferentes distâncias: a primeira bem longe, mostrando uma visão AMPLA do local; a segunda mais próxima, onde poderá observar alguns detalhes; a terceira bem mais próxima, focalizando algo importante, que se destaca naquela paisagem. O ponto de referência deverá ser sempre o mesmo, variando apenas as distâncias.

Contemple a primeira foto, analise a paisagem como um todo, anote o que acha interessante. Em seguida faça o mesmo com a segunda e a terceira fotos. Compare o que escreveu para cada uma e verá que, de cada ENFOQUE, você percebeu algo interessante e diferente.

Faça o mesmo com sua vida. Primeiramente “fotografe sua vida” de forma ampla, observe e faça suas anotações. Em seguida, aproxime o “foco” cada vez mais e anote. Faça o mesmo com situações que está vivenciando e descobrirá muita coisa que havia passado despercebida.

Além do desenvolvimento de sua percepção, será necessário também reeducar sua mente e, consequentemente, suas ATITUDES mudarão. Sua expressão e seu entorno são reflexos do seu interior, SEMPRE. Algumas regras poderão ser seguidas diariamente. Não são difíceis, mas exigem persistência, pois todos fomos acostumados a pensar de forma incorreta. Se você perseverar, gerará dentro de você uma grande transformação:

1. PARE DE SE LAMENTAR. Por pior que esteja sua vida, assuma que é o retorno do que já foi feito e que, de agora em diante, sua mente trabalhará a seu favor. Olhe ao seu redor e veja quanta coisa você já conseguiu em sua vida, quantas pessoas o procuram e gostam de você. Se perdeu bens materiais, emprego, dinheiro, amor, é PASSADO. Você atraiu tais situações em virtude da mente e atitudes negativas. Mas tudo poderá ser superado porque o tempo lhe trouxe novas experiências que o capacitaram a atrair situações e pessoas melhores. CONFIE EM VOCÊ e afirme sempre que sua vida está ótima.

2. PARE DE SE DESVALORIZAR. Enxergue-se positivamente e veja SEU PRÓPRIO VALOR, sem vaidade excessiva do EGO. Pare de exigir reconhecimento dos outros. Se você tem certeza de que faz o melhor, elogie-se, reconheça-se e acabará atraindo reconhecimento. Reafirme sempre EU SOU CAPAZ, EU ME AMO E SOU AMADO. Se ainda não se acha capacitado profissionalmente, vá à luta e faça uma lista do que deverá estudar ou praticar para melhorar seu desempenho.

3. PARE DE CRITICAR os outros e a si próprio. Você não vai jamais mudar ninguém, muito menos através da crítica. Se deseja ajudar alguém, indique bons livros, cursos, terapeutas etc., jamais critique. Da crítica emanam energias altamente negativas que retornam para si mesmo. Com os filhos e subordinados adote o diálogo, a troca de informações, o elogio.

4. VIGIE SUA MENTE. Até que sua mente esteja relativamente reeducada, preste mais atenção aos seus pensamentos. Quando se flagrar em pensamentos negativos, emita um COMANDO MENTAL: “cancele este pensamento” e neutralizará as ondas negativas, se houver sinceridade em suas palavras.

5. TORNE SUA MENTE MAIS FLEXÍVEL.. Desenvolva a flexibilidade mental praticando exercícios corporais, pois existe uma interação total entre mente e corpo. Uma mente flexível permite enxergar as situações sob novos prismas. Mesmo que você não evite determinadas situações ou problemas, poderá enxergá-los de uma outra maneira e solucioná-los sem ansiedade e nervosismo.

6. DESENVOLVA SUA CRIATIVIDADE: a “criação” é a maior dádiva que herdamos. Todos nós a temos em potencial, embora algumas pessoas a acessem com mais facilidade do que outras. Muitas vezes temos idéias extremamente originais ou inovadoras e não temos a ousadia necessária para as expor ou aplicar. O novo sempre é assustador para a grande maioria. Preste mais atenção às suas idéias e sempre que surgir alguma que lhe pareça estranha ou ousada, reflita mais atentamente sobre a mesma. Durante muito tempo a criatividade foi associada às artes, em geral. Hoje sabemos que no mundo dos negócios o que mais conta é a originalidade e a ousadia de correr riscos.

7. PENSE POSITIVAMENTE. Com sinceridade e utilizando-se dos métodos de diagnósticos propostos neste livro, proceda a uma auto-análise. Verifique o que precisa ser mudado e, para cada caso, escreva uma frase positiva, de acordo com as seguintes regras:

a) As frases deverão ser expressas no tempo PRESENTE. Traga o futuro desejado para o presente. Ex.: se você é crítico, afirme: “sou tolerante e aceito as pessoas como são”. Se é autoritário, diga: “uso corretamente minha autoridade e respeito a opinião dos outros”. Na realidade, você deverá mentalizar o contrário do aspecto negativo que deseja transmutar.

b) Nunca use em suas frases palavras negativas como: NÃO, NUNCA, NEM, NINGUÉM etc. Assim, não afirme “não sou ciumento” e sim “confio em mim e em meus semelhantes”.

c) Não use verbos que denotem o FUTURO, como QUERER, DESEJAR, ALMEJAR etc. Você estará sempre jogando para o futuro o que deseja alcançar. Diga: “eu já sou ….”, “eu já tenho …”, “eu já estou …”.

As mentalizações positivas devem ser feitas sempre que tiver um tempo disponível, no trânsito, no intervalo para almoço, à noite etc. Mas sempre que possível, faça-as em estado de relaxamento, pois terão um efeito mais rápido, principalmente se forem feitas antes de dormir.


Como o carvalho

Todas as vezes que nos deparamos com problemas em nossa vida, observamos o quanto somos frágeis.

As alegrias se vão e só fica a verdade de que somos impotentes para lidar com adversidades que surgem no decorrer de nossa existência.

Deus nos deixa lições interessantes em sua criação para nos mostrar o contrário, que o homem foi criado forte e que essa força é sempre adquirida e absorvida dessas situações adversas.

Você conhece uma árvore chamada CARVALHO?

Pois é, essa árvore é usada pelos botânicos e geólogos como um medidor de catástrofes naturais do ambiente.

Quando querem saber o índice de temporais e tempestades ocorridas numa determinada floresta, eles observam logo o carvalho (existindo no local, é claro), que naturalmente é a árvore que mais absorve as conseqüências de temporais.

Quanto mais temporais e tempestades o carvalho enfrenta, mais forte ele fica!

Suas raízes naturalmente se aprofundam mais na terra e seu caule se torna mais robusto, sendo impossível uma tempestade arrancá-lo do solo ou derrubá-lo!

Mas não pense que os cientistas precisam fazer essas análises todas para saber isso! Basta apenas eles olharem para o carvalho.

Por absorver as conseqüências das tempestades, a robusta árvore assume uma aparência disforme, como se realmente tivesse feito muita força.

Muitas vezes uma aparência triste!

Cada tempestade para um carvalho é mais um desafio a ser vencido e não uma ameaça!

Numa grande tempestade, muitas árvores são arrancadas, mas o carvalho permanece firme!

Assim somos nós.

Devemos tirar proveito das situações contrárias à nossa vida e ficar mais fortes!

Um pouco marcados. Muitas vezes com aparência abatida, mas fortes!!!

Com raízes bem firmes e profundas na terra!

Podemos, com isso, compreender o que o nosso PAI maravilhoso quis nos ensinar, quando disse que podemos todas as coisas naquele que nos fortalece.

E também a confiança do rei Davi quando cantou:

_”Ainda que eu andasse pelo vale da sombra da morte eu não temerei mal algum, porque TÚ estás comigo…”

Por isso quando olhar pela janela o lindo alvorecer, lembre-se de que não há temor com os infortúnios da dia, porque DEUS está consigo!

Ele o protegerá

Se você está passando por lutas muito grandes por estes dias, pense que (como o carvalho)…é só mais uma tempestade que o tornará mais forte, segundo aquele que nos arregimentou!

 

Vivemos nossas vidas tão preocupados em atingir nossos objetivos materiais
Que deixamos de estar em harmonia com o Grande Criador
Buscamos tanto a felicidade, e não percebemos que ela está bem ao nosso lado
Carregamos tantos fardos inúteis…mágoas, tristezas, medos, preocupações
Buscamos tantas ilusões efêmeras: Sucesso, posição social, títulos…
E nos admiramos quando nos sentimos vazios, deprimidos, sem rumo…
Você já parou para pensar em como a vida é uma dádiva de Deus?
E você, um ser único, por Ele criado para usufruir desta dádiva?
Portanto, viva intensamente, cada minuto, como se fosse seu ultimo
Não deseje nem faça o mal a quem quer que seja…
Faça da humildade tua grandeza, da serenidade tua força
Esqueça as ofensas e mágoas, perdoe…
Viva em Deus e torne-se inatingível
Nenhuma pessoa no mundo terá o poder de te magoar.

 

” Não me interessa saber o que você faz para ganhar a vida.
Quero saber o que você deseja ardentemente, se ousa sonhar em atender aquilo pelo qual seu coração anseia.
Não me interessa saber a sua idade.
Quero saber se você arriscará a parecer um tolo por amor, por sonhos,pela aventura de estar vivo.
Não me interessa saber que planetas estão em quadratura com sua lua.
Não me interessa saber que planetas estão em quadratura com sua lua.
Quero saber se tocou o âmago de sua dor, se as traições da vida o abriram ou se você se tornou murcho e fechado por medo de mais dor!
Quero saber se pode suportar a dor, minha ou sua, sem procurar escondê-la, reprimí-la ou narcotizá-la.
Quero saber se você pode aceitar alegria, minha ou sua, se pode dançar com abandono e deixar que o êxtase o domine até as pontas dos dedos das mãos e dos pés, sem nos dizer para termos cautela, sermos realistas, ou nos lembrarmos das limitações de sermos humanos.
Não me interessa se a história que me conta é a verdade.
Quero saber se consegue desapontar outra pessoa para ser autêntico consigo mesmo, se pode suportar a acusação de traição e não trair a sua alma.
Quero saber se você pode ver beleza mesmo que ela não seja bonita todos os dias, e se pode buscar a origem de sua vida na presença de Deus.
Quero saber se você pode viver com o fracasso, seu e meu, à margem de um lago, gritar para a lua prateada: “Posso”!
Não me interessa onde você mora ou quanto dinheiro tem.
Quero saber se pode levantar-se após uma noite de sofrimento e desespero, cansado, ferido até os ossos, e fazer o que tem de ser feito pelos filhos.
Não me interessa saber quem você é e como veio parar aqui.
Quero saber se você ficará comigo no centro do incêndio e não se acovardará.
Não me interessa saber onde, o quê, ou com quem você estudou.
Quero saber o que o sustenta a partir de dentro, quando tudo mais desmorona.
Quero saber se consegue ficar sozinho consigo mesmo…..