A medicina tradicional chinesa (MTC) assenta na teoria dos cinco elementos. Existem cinco órgãos (fígado, coração, baço/pâncreas, pulmão e rins), cada um com as suas vísceras acopladas — respectivamente, vesícula biliar, intestino delgado (e mestre-coração, ou protecção do coração), estômago, intestino grosso e, finalmente, a bexiga.

A cada elemento, corresponde também uma estação, uma emoção e um sabor, nomeadamente:

  • ao fígado, a Primavera, a irritabilidade/criatividade e o sabor ácido;

  • ao coração, o Verão, a euforia/alegria e o sabor amargo;

  • ao baço/pâncreas, a canícula, o pensamento obsessivo/concentração e o sabor doce;

  • ao pulmão, o Outono, a tristeza/sentido de integração e o sabor picante;

  • aos rins, o Inverno, o medo/força de vontade e o sabor salgado.

É à luz desta teoria que deveremos analisar e compreender este artigo.

O elemento madeira

madeira 

É no elemento madeira (associado ao fígado e à vesícula biliar) que a energia vital sobe, cresce, ocupa espaço, abre caminho para alcançar o sol — como uma árvore que cresce na Primavera. Também nós somos árvores: temos os pés como raízes, os membros como galhos e ramos, o eixo vertical como tronco. Com o elemento madeira equilibrado, obtemos flexibilidade para os músculos e para as articulações, de modo a conseguirmos praticar uma postura vertical, firme e movermo-nos com determinação.

Uma árvore não cede com facilidade: agarra-se à terra com as suas raízes e não cai; pode oscilar com o vento e até vergar, mas dificilmente quebra. Na sua maturidade, surgem flores e frutos e as sementes se espalham, para que possam surgir novas árvores, dando assim continuidade à sua existência. Nós calcamos a terra com postura vertical e crescemos. Qualquer desarmonia ligada aos membros, músculos e articulações indica desequilíbrio do elemento madeira, como um movimento doloroso até situações mais graves na coluna vertebral. Quando se tem tendência para cair, verifica-se que a raiz está fraca. Como o cair vai de encontro ao chão, em vez do céu, o crescimento do elemento madeira está comprometido.

Os olhos dizem tudo

 eyes

Os olhos são muito sensíveis à condição do fígado e da vesícula, logo, ao elemento madeira. Quando alguém ingere álcool em excesso, os olhos ficam vermelhos, o que indica fígado congestionado; a icterícia e a hepatite, em que existe um derrame de bílis, também se repercutem nos olhos.

Torcicolos e pequenas espinhas nas pálpebras indicam sobrecarga da vesícula. Olhos com comichão, irritados; visão turva; dificuldade em suportar a luz e até anomalias ópticas, como miopia ou a vista cansada, reflectem um desgaste do elemento madeira. A tão conhecida ‘visão interior’ é também da esfera do elemento madeira. Com ela, podemos planear, imaginar, criar — e se pretendermos passar à execução, a paciência será essencial.

Existindo dificuldade em planear, impaciência e irritação, conclui-se que o fígado e vesícula biliar não se encontram no seu melhor. Com os olhos, vêm as lágrimas, a secreção fluida do elemento madeira. Contenção de lágrimas ou o seu excesso, desânimo em relação à vida e descrença nas suas próprias capacidades indicam desarmonia neste elemento.

Sinais típicos

Quem tem aversão ao vento ou, por outro lado, quem tem uma grande necessidade de se expor a ele, quem apresenta sensibilidade excessiva a golpes de vento; quem não suporta a cor verde ou tem muita roupa verde; quem apresenta no rosto um leve tom esverdeado; quem fala com voz alta e sente raiva frequentemente ou se irrita facilmente; quem demonstra amargamente as suas frustrações e sofre de cansaço prolongado, incluindo ou não dificuldade em manter relações sexuais; quem é atingido por enxaquecas; quem tem propensão para lesões ao nível dos tendões e dos ligamentos, com tendência para curvar as costas e para deformação nos membros; quem entra em pânico, perde a capacidade de julgamento e decisão ou tem pensamentos e emoções sem sentido; quem apresenta secreções, sobretudo o suor, com aroma fétido — é uma pessoa a necessitar de cuidados no elemento madeira.

A alimentação

O sabor ácido está associado à Primavera.

O sabor picante tonifica a energia do fígado; o sabor ácido dispersa a energia deste órgão; o sabor doce harmoniza-o. O sabor ligeiramente ácido tonifica a forma do fígado; o sabor muito ácido e o picante dispersam a sua forma. O que quer isto dizer? Que o fígado tem uma forma — e uma energia que governa essa forma e todas as outras formas ligadas ao elemento madeira: olhos, músculos, paciência, etc…

Depreendemos, também, que um pouco de cada sabor beneficia o fígado. No entanto, demasiado ácido e/ou picante podem lesá-lo (tonificar significa fortalecer, revigorar, reforçar; dispersar indica desconcentrar, fazer sair).

O excesso ou a falta de sabor ácido podem desequilibrar o fígado e a vesícula, ou ainda comprometer a passagem de energia para o coração. Isso fragiliza os sentimentos; afecta o elemento terra (baço/pâncreas) e o sentido de alinhamento, de centro, que este elemento propicia; permite que o elemento metal (pulmão e intestino grosso) agrida e transporte um sentimento de depressão. Um dos problemas mais comuns é o elemento madeira ser afectado pelo elemento metal através da bebida alcoólica, que prejudica o fígado.

Alimentos principais…

salsa

Para salvaguardar o fígado e a vesícula biliar através da alimentação, é preciso usar alimentos de natureza morna (não tem a ver com temperatura, mas sim com a sua natureza) e movimento ascendente: raízes e rebentos, pequenas folhas verdes de salsa, coentros, cebolinho, manjericão, orégãos, alho-porro e alcachofra (cultivados sem químicos, pois estes atraem as toxinas do solo, assim como as do fígado); algas marinhas, que também desintoxicam e são ricas em minerais; beterraba crua ralada, legumes cozidos ao vapor; sopa de cevadinho com cebola e aipo; pão ou biscoitos de trigo integral; e chá de dente de leão ou chá de boldo. Poderá ainda usar saladas temperadas com limão; caldo de algas com misso; e molho de soja orgânico em vez de sal, além de consumir iogurte com moderação.

Estas pessoas deverão também evitar gorduras e alimentos fritos ou confeccionados com muito óleo; bem como o excesso de proteínas, como o resultante de comer carne ao almoço e ovos ao jantar. De um modo geral, para não lesar todo o sistema energético, as proteínas animais não devem exceder 10 a 20% da refeição, num limite de 750 g por semana.

… e complementares

Como suplementos, podem usar extracto de alcachofra e levedura de cerveja, e incluir fígado de vaca na alimentação, já que isso beneficia o fígado do ser humano. Podemos pensar que o fígado animal vem carregado de toxinas; no entanto, se ingerido em pequenas quantidades (50 g), vai ampliar a capacidade e funcionalidade do nosso próprio órgão, proporcionando a expulsão das toxinas que o rodeiam. Não ingerindo fígado animal, há uma forte possibilidade de as toxinas, inclusive as psíquicas, continuarem a fluir pelo sangue.

Quanto aos temperos, não exagere. Moderadamente, estimulam a circulação da energia do fígado; em doses elevadas fazem a energia estagnar. No que diz respeito aos sais minerais, para salvaguardar o elemento madeira, use ferro e cobre. O ferro combina-se com o cobre e proteínas para dar origem à hemoglobina, o principal componente das células vermelhas do sangue, que fica armazenado no fígado, no baço e na medula óssea.

A carência de ferro pode ser desastrosa: a pessoa fica anémica, o processo de crescimento é interrompido e cansa-se rapidamente e com facilidade.

A menstruação, por exemplo, é um processo que faz a mulher perder mais ferro do que os homens.

Fontes de ferro encontram-se (em ordem decrescente) em espinafres, cominhos, sementes de coentros e abóbora, farinha de soja, paprica, soja, fígado animal, trigo em grão, feijão comum, feijão frade, sementes de girassol, grão de bico, painço, lentilhas, pinhão, misso, tremoços, tofu, gema de ovo de galinha, rim animal, amêndoa, ervilha, ‘shoyu’, feijão ‘azuki’, cevada em grão, hortelã, coração animal, amoras, pão integral e flocos de aveia. De realçar que 100 g de espinafres têm duas vezes mais ferro do que a quantidade que a mulher necessita diariamente.

No que diz respeito ao cobre, encontra-se em grande quantidade nas ostras e no fígado de vaca ou carneiro.

A Medicina Tradicional Chinesa (MTC) assenta na teoria dos cinco elementos, correspondendo a cada um uma estação do ano, um órgão do nosso corpo, uma emoção e um sabor. A Primavera está associada ao fígado, à irritabilidade, à criatividade e ao sabor ácido. Vamos ver em que aspectos esta estação incide em nós!

Sobre o ambiente

Nesta época do ano, privilegie os passeios pelo campo, pela montanha e pela praia, a mobilidade dos membros (também através de alongamentos e estiramentos musculares), os ambientes calmos, a convivência com pessoas alegres e criativas e os momentos de recolhimento e reflexão. Quando não se sentir no seu melhor, evite o esforço ocular: leia ou concentre o campo visual durante um período não superior a vinte minutos de cada vez.

Sobre a Primavera

É nesta estação que a energia da semente se move em direcção ao céu, gerando matéria e fazendo surgir uma nova forma na superfície da terra. Assim, encontramos a Primavera associada ao começo, à criação.

Nesta estação, a capacidade de realização do ser humano exprime-se através da criatividade. Existe uma grande energia sexual no ar, já que a Primavera se encontra associada ao elemento madeira e o sistema energético do fígado governa os genitais.

Deverá moderar a actividade sexual nesta estação, canalizando essa poderosa energia para outras actividades criativas. Assim, o tónus sexual mantém-se firme ao longo de todo o ano. Deveremos, então, moderar os impulsos através do temperamento das atitudes. Como já abordado anteriormente, tudo que se encontra em ressonância com o elemento madeira fica mais activo na Primavera, logo, sujeito a desequilíbrios do fígado, da vesícula, dos músculos e tendões, dos olhos e da capacidade criativa/imaginação.

Sobre os horários privilegiados

Tal como o sol, que a cada momento do dia ilumina de forma diferente as zonas de uma casa, a energia actua sobre os nossos cinco elementos em diferentes horários. Nesses períodos, os sintomas de desequilíbrio melhoram ou pioram. O horário privilegiado da vesícula biliar inicia-se às 23 h e termina à 1 da manhã; o do fígado vai da 1 h às 3 da manhã.

Aqui, o sintoma mais comum de desequilíbrio é a dificuldade em adormecer ou em dormir profundamente, incluindo ter pesadelos. Há quem prefira exactamente esse horário para escrever, planear, redigir relatórios e organizar agendas. Considerando que durante este período a área de criatividade e imaginação está a ser revitalizada: alguém com deficiência no elemento madeira terá mais facilidade em criar; com excesso de energia neste elemento, a pessoa ficaria hiperactiva, não conseguindo adormecer.

O horário em que o fígado se encontra mais vulnerável é das 13 às 15 h, período que coincide com o almoço. É durante este período que deveremos relaxar a fim de repor a energia deste órgão, em especial o sangue. Uma sesta a seguir ao almoço é a melhor forma de beneficiar o fígado.

As emoções

Um ataque de raiva pode ser mais prejudicial do que três dias a beber álcool em excesso. Raiva, irritação, intolerância, mau humor, tudo que seja oposto à paciência fere o elemento madeira: contrai o fígado e a vesícula biliar, os músculos e a criatividade.

A raiva contida também é prejudicial. Dentro do bom senso, exteriorize, não contenha. Pode fazê-lo através de uma actividade física, da conversa com alguém da sua confiança e do grito, que também é altamente terapêutico. Sentimentos fortes de frustração e apatia ou dificuldade prolongada em encontrar soluções para as dificuldades são também nocivos. A criatividade é um atributo normal em todos; se tem um excesso da mesma doseie-a; se é pouco criativo, desenvolva-a.

As cores

O verde, o verde-azulado e o violeta são as cores associadas ao elemento madeira. Pode-se verificá-lo nas preferências pessoais (roupas, objectos, decoração da casa, cor do carro, locais de lazer, alimentos). Essas mesmas cores podem também surgir levemente na tez pele quando existe desequilíbrio.

As qualidades subtis

As faculdades espirituais são qualidade subtil latente e associada ao fígado. Podem ser encaradas como a capacidade de captarmos e sintonizarmos frequências especiais do Universo. Tudo que está ligado ao elemento madeira tem movimento ascendente; quando se refere em elevar os pensamentos, propõe-se o uso concentrado dessa capacidade energética. Surge aqui, novamente, a ligação entre o fígado e os olhos. Como refere o ditado, «os olhos são o espelho da alma»; na China diz-se que a morada da alma é o fígado.

Sobre os poderes garantidos

Quando o elemento madeira está em harmonia, garantimos a capacidade de coordenação e controle em situações críticas: por exemplo, não se entra em pânico ou não há tendência para o desmaio. Por outro lado, desorientação, desânimo diante de dificuldades e confusão interna, indicam desarmonia deste elemento.

Dieta e desequilíbrios

Há algo a dizer sobre a relação entre a dieta e os desequilíbrios do elemento madeira As funções do fígado são muitas vezes inibidas pelo consumo de carne, gorduras animais e sal. Estes produtos criam tensão física e bloqueios na circulação da energia.

O fígado guarda e liberta energia no sangue. No tratamento de patologias relacionadas com o fígado, vegetais levemente cozinhados, vegetais com folhas, saladas cruas, rebentos e alguma fruta são usados para relaxar esta tensão. Também é recomendado que quem se apresente com uma condição geral mais Yang (activa, agitada) reduza o sal. Exercícios vigorosos podem ajudar na libertação da tensão quando a energia do elemento madeira se encontra bloqueada.

Será igualmente benéfico o envolvimento em actividades mais descontraídas, como jogos não competitivos, dança ou actividades que estimulem movimentos mais espontâneos e livres. O contacto com a natureza é muito importante, como caminhar no campo e/ou praia e criar espaço para meditação e reflexão diária.

Meridianos ou canais de energia

Desequilíbrios no elemento madeira são muitas vezes detectados através de patologias ao nível dos joelhos, como rigidez e inchaço que poderão afectar o andar.

Como já foi abordado, o fígado e a vesícula estão relacionados com a visão. Quem se encontra com desequilíbrio nestes órgãos pode desenvolver uma tendência para sentir tensão nos e à volta dos olhos, bem como pressionar fortemente ou friccionar as laterais do nariz. Também é comum sentir tensão na base do crânio, que consegue ser aliviada por uma rotação rígida da cabeça, para cima e para baixo.

Tal como os joelhos, os cotovelos também indicam desequilíbrio do fígado. Existe, então, uma rigidez generalizada nos movimentos do braço, e a postura dos cotovelos e antebraços são colocados numa posição protectora — os braços são cruzados firmemente na parte inferior das costelas com as mãos fechadas e os cotovelos projectados ligeiramente para a parte da frente do corpo.

Outras considerações

Yin-and-Yang

Um campo a abordar, ainda, neste assunto é o do yin e do yang. As manifestações de desequilíbrios no elemento madeira dependem da condição e constituição do indivíduo. Uma vez que a necessidade exagerada de controlo das situações e da vida é um dos primeiros sinais de desarmonia no elemento madeira, a pessoa com uma condição/constituição mais yang (mais agitada, normalmente mais robusta) terá uma tendência para exagerar os mecanismos desse mesmo controlo. Assim, não existe uma disposição para exteriorizar a raiva, mas sim para a reprimir. A longo prazo, este comportamento é mais perigoso para o indivíduo e para o próximo. A tensão que se vai acumulando procura libertar-se. Quando é libertada, o indivíduo pode perder o controlo e ser bastante agressivo e violento.

Numa pessoa com condição/constituição mais yin (mais calma, normalmente mais magra), a linguagem corporal do corpo pode ser interpretada como um aviso para os outros não forçarem. Quando zangado, o indivíduo torna-se mais rígido e os maxilares fecham-se, o que indica perigo. Aqui, não existe uma capacidade inata de controlo, logo, existe maior predisposição ao exteriorizar da frustração e ao libertar mais óbvio da sua raiva.

Esta exteriorização é geralmente menos ameaçadora para os outros. O tipo de irritabilidade mostrada é semelhante ao expressado pelas pessoas com desequilíbrios no elemento terra (baço/pâncreas), no sentido em que a raiva demonstrada não é eficiente em ganhar a atenção do próximo, por não existir um investimento em termos de poder físico.

Considerações fisiológicas

Como verificámos, na medicina tradicional chinesa o elemento madeira está associado às funções do fígado e da vesícula biliar, como a secreção excessiva da bílis, que pode ser reabsorvida ou voltar para a corrente sanguínea. A bílis é naturalmente produzida pelo fígado e vai para o sistema digestivo com o fim de emulsionar gorduras para o processo de digestão. Se a bílis se encontrar na corrente sanguínea, pode actuar como irritante celular, especificamente ao nível do sistema nervoso, originando um estado de irritabilidade persistente.

Tal é visível em pacientes com desequilíbrios do fígado, como a icterícia, ou efeitos a longo prazo de álcool ou drogas, onde existe geralmente uma hipersensibilidade à luz e irritabilidade na superfície da pele.

Como já foi abordado, uma das principais funções do fígado é a libertação de açúcares guardados para serem utilizados pelo corpo. Se esta função de libertação é inibida por acumulação de tecidos gordos ou por outro processo, isso poderá contribuir para o desejo inconsciente de ter o controlo completo de tudo e todos, uma vez que a energia libertada pode ser insuficiente ou abundante. Concluímos, mais uma vez, que desequilíbrios do fígado são muitas vezes associados ao excesso de consumo de carne animal e derivados do leite. O excesso destes produtos pode conduzir ao mau temperamento e a comportamento agressivo.

O elemento madeira

O fígado

É a maior glândula do corpo. Fica do lado direito e pesa em média um quilo e meio. Recebe os produtos hidrossolúveis da digestão através da veia porta, que o liga ao intestino. Tem inúmeras funções: metaboliza hidratos de carbono, proteínas, gorduras, vitaminas e noventa por cento do álcool que se bebe. Produz colesterol, activa vitaminas, sintetiza proteínas, aminoácidos, ureia, triglicéridos, ácidos gordos e biliares, glicose e glicogénio. Armazena glicogénio, ácido fólico e as vitaminas A, E, K e B12.

Na concepção chinesa, é o responsável por um calmo fluir das substâncias através do corpo, e também pela regularidade das actividades corporais. Como um general, comanda o movimento das forças. O fluxo de Qi (energia) é governado por ele, portanto tudo o que depende do Qi depende também do fígado. É especialmente importante para a digestão por muitas razões, entre as quais o controlo da secreção da bílis. No entanto, a sua função mais interessante é a de harmonizar as emoções, proporcionando um ambiente interno agradável ao manter o movimento sereno e equilibrado. Um exemplo disso é que, quando repousamos, ele armazena o sangue; quando nos levantamos e esforçamos, ele deixa o sangue fluir novamente.

O metabolismo

Este termo designa a sucessão de trocas químicas que mantêm a vida. Essas trocas podem ser anabólicas, construindo tecidos, ou catabólicas, destruindo.

A vesícula biliar

Este órgão funciona em parceria com o fígado e é responsável pelas decisões. Armazena e concentra a bílis, um fluído amarelo esverdeado, amargo e alcalino que o fígado produz; transfere a bílis ao duodeno através do ducto biliar; elimina o colesterol. A bílis contém água, bicarbonato, mucina, lecitina, colesterol, sais e pigmentos; a sua principal função é emulsionar as gorduras e as vitaminas lipossolúveis para que possam ser digeridas e absorvidas.

Os meridianos da madeira

O par de meridianos do fígado começa no hálux e termina na sexta vértebra intercostal. O par de meridianos da vesícula biliar começa próximo do canto externo do olho, passa pelo crânio e desce pelo tronco, pela perna, terminando no quarto dedo do pé.

Os gónadas

São glândulas que se desenvolvem no ventre do embrião, uma de cada lado. Até à sexta semana de vida, apresentam um córtex e uma medula. Na sétima e na oitava semanas, se o embrião for masculino a medula desenvolve-se para formar os testículos e o córtex regride; aparecem células diferenciadas e as hormonas andróginas são secretadas. Se o embrião for feminino, o córtex desenvolve-se formando os ovários e a medula regride.

Os círculos concêntricos da madeira

Sabor: ácido

Direcção: leste

Período do dia: manhã

Período do ano: Primavera

Clima: ventoso

Meridianos: fígado e vesícula biliar

Horário privilegiado: das 23 às 03 horas

Órgãos: fígado e vesícula biliar

Órgão sensível: olhos

Glândulas endócrinas: gónadas (testículos e ovários)

Partes governadas: tendões, ligamentos e músculos

Orifícios: olhos

Manifestação externa: unhas

Secreção fluida: lágrimas

Componente bioquímico: gordura

Vitaminas: A, B12

Minerais: cobre, ferro

Atitude: planeamento e decisão

Poder garantido: auto-controle

Qualidade subtil: faculdades espirituais

Emoções negativas: raiva, irritação, impaciência

Cheiro suspeito: rançoso, fétido

Som da voz: alterado / alto

Cor: verde

Sonhos: com árvores, cogumelos, lutas, cortes

Planeta: Júpiter

Fase da lua: quarto crescente

Nota musical: lá

Número: 8

Moderador: metal/sabor picante

* Artigo desenvolvido a partir de «A Primavera», de Guilherme Juvenal Branco. In “Zen Energy”, por Rodrigo Belard.

 

 

Anúncios