Archive for dezembro, 2011


“Sobre o Ego Inferior”

“Sobre o Ego Inferior”
(Rathal Zeh – Mensagem – 15.02.08)

“Saudações!

Vocês estão em um caminho de crescimento e aprimoramento. Tudo aquilo que vocês vivenciaram em suas existências, não só como coletividade, mas também em suas realidades pessoais, são experiências que lhes serviram para o aprendizado de sua alma. Chegaram até aqui por meio de muitos esforços, muitas vezes enfrentando conflitos internos e/ou externos, mais um passo no processo da expansão da sua consciência.
Vocês começam a perceber que o mundo de sofrimento não é bom. E seus Seres já não se satisfazem mais com essas experiências. Querem algo diferente. querem uma vida mais tranquila, saudável e feliz.
Como já lhes dissemos antes, vocês são Deuses criadores! Há muita energia Divina em vocês e essa energia criadora necessita ser relacionada para que passem a criar o mundo que desejam. Sua energia criadora criadora segue exatamente aquilo a que seu pensamento a direciona.
Sim, amigos, por mais difícil que seja aceitar essa ideia, temos de lhes dizer que vocês criaram um mundo de sofrimento, baseado no medo, na culpa e no pecado. Por uma questão de escolha coletiva, optaram por crenças, valores e pensamentos que os levaram a criar o mundo que hoje vocês estão vendo. Pelos padrões Divinos vocês criaram errado, como já dissemos.
Porém, isso não precisa ser assim, nunca precisou ser assim. E estamos aqui para lhes dizer que há outra alternativa. Estamos aqui para lhes dizer que vocês foram criados para manifestar e Perfeição, e isso implica felicidade plena.
Seus seres estão escolhendo outra realidade e, por causa dessa nova escolha, novos conhecimentos estão sendo colocados à Luz das informações para que possam entender: se vocês puderam criar algo ruim, também poderão criar algo bom. Criaram algo que não querem mais, poderão desmantelar essa mesma criação e construir algo diferente.
Um dos maiores desafios que hoje a humanidade enfrenta é transpor o ego inferior. Ele foi criado por vocês mesmos no exato momento em que optaram por se desconectarem da Divindade interna. Assim vocês escolheram e passaram a acreditar que a parte de vocês que cria é o ego. Passaram a criar com o ego.
E como o ego cria? O que é o ego? O ego trouxe-lhes a ideia de pecado. O ego trouxe-lhes a ideia de culpa. O ego trouxe-lhes a ideia de medo. O seu ego trouxe-lhes a ideia que estão sós. O ego trouxe-lhes a ideia da dualidade: o bem versus o mal.
O ego coloca-os diante de competições e comparações, deixando-os com a sensação de que são separados uns dos outros. Sentir-se separados uns dos outros e da sua própria divindade os colocou na ideia de que o outro é seu inimigo, que pode feri-lo a qualquer momento. Finalmente, o ego criou-lhes todo tipo de transtornos e confusões.
Porém, eu lhes digo que na realidade das dimensões superiores isso não acontece assim.
Percebam que foram vocês que criaram o mundo ao seu redor e o estão criando com seus egos! Assumam suas responsabilidades (A responsabilidade à qual Rathal Zeh se refere não é no sentido de obrigatoriedade. Quer dizer, uma pessoa responsável não pode culpar as circunstâncias em que se encontra. Responsabilidade deve ser o produto de uma escolha consciente.), não com sentimento de culpa, mas com um sentimento de poder em um processo de mudança.
Percebam que vocês mantêm o ego vivo com suas atitudes e pensamentos, dando-lhe força e apegando-se a ele como se fosse a única realidade possível.
Pensem: vocês não são o ego. Vocês são a Divindade vivenciando uma experiência na matéria.
Para atingir deus e utilizar corretamente seu Poder Criador, há que se colocar acima do ego e da dualidade. Há que saber que vocês estão no comando e iniciar a jornada para desmantelar a realidade que não querem mais.
Há que saber que a responsabilidade sobre o mundo externo se encontra apenas dentro de você. Os governos, as instituições, a sua família, a sua escola… não são responsáveis pela realidade que você mesmo criou!
Então, vocês me dizem: ‘Querido Amigo, eu não criei a guerra’.
Eu lhes digo: você criou a guerra quando deixou de sentir a paz dentro do seu coração e da sua mente e a mantém viva enquanto não buscar a sua própria paz interna. O mundo estará em paz quando todos os seres humanos se sentirem em paz consigo mesmos.
Percebam que a realidade externa manifesta aquilo que vocês têm em seu interior, e o caminho para a mudança real começa dentro de vocês e não fora.
Portanto, o trabalho a realizar é sempre interno. E esse trabalho consiste em substituir o ego pelo amor puro que está sempre à sua disposição.
Devemos sempre repetir para que entendam que, para o Divino, tudo é perfeito. E as escolhas que devem fazer se resumem em apenas uma: escolher entre o Divino e o ego.
Amados amigos, empenhem-se em diminuir a força de seus egos, pois ele bloqueia e atrapalha seu caminho.
Empenhem-se em estar longe da culpa, do medo e do pecado, pois vocês não são Seres pecadores como lhes fizeram acreditar.
Digo-lhes: não há pecado. Este é um Universo de inúmeras possibilidades, onde certo e errado não existem.
O que existe apenas é o Perfeito.

Em Luz os abençoo, Rathal-Zeh – Povo Azul – Constelação de Órion.”
ps.: Texto extraído do livro: “2012 A Era de Ouro, Olhos Eternos”, autores: C. Torres e S. Zanquim/canalização Tania Resende; Ed. Madras.

 

 

 

Anúncios

Ensinamenstos do mestre JESUS

Certa tarde, Jesus passava com seus discípulos em frente a uma grande montanha. Ele planejava ver o pôr-do-sol lá de cima, coisa que adorava. Porém, antes que iniciasse a subida pelo caminho do monte, um homem se aproximou rapidamente e lhe perguntou: “Sei que o senhor vem da parte de Deus, pois só alguém com o poder divino é capaz de fazer os milagres de que tanto falam os seus companheiros. Então, é verdade que o divino está em seu coração e que o senhor veio dar testemunho disso entre os homens?”
O Rabi* olhou aquele homem e viu, em seu coração, que havia nele uma luta titânica entre sublimes aspirações espirituais e pensamentos pesados e carregados de medo e dor.
Com carinho, ele respondeu ao homem, dizendo-lhe: “Sim, é verdade que carrego o divino em meu coração. Mas também é verdade que Ele está em seu coração e em todos os corações. Filho, Ele está em tudo!
“Contudo, o homem não entendeu e ainda lhe perguntou: “Mas, Senhor, como isso é possível? Deus está lá em cima, no céu. Como é que Ele pode estar dentro do homem, que é impuro e cheio de egoísmo?” Com paciência, Jesus lhe disse: “Essa é a verdade do espírito que não se enxerga com os olhos da carne, nem com os dogmas religiosos criados pelos homens, mas com o discernimento espiritual e a luz da compreensão. Só o espírito compreende o espírito! O amor busca o amor! O divino só é percebido com o olho do coração. Por isso tão poucos homens têm tido a visão real, pois querem capturar o espírito apenas com os sentidos da carne.Vem comigo. Vamos ao alto do monte meditar no Supremo que está em tudo!”
Então, o doce Rabi abraçou o homem e subiu o monte com ele e os discípulos. Ele gostava do momento mágico do crepúsculo. Muitas vezes, enquanto olhava a linha do horizonte, entre o cair da tarde e o início da noite, ele entrava em êxtase espiritual, e o seu rosto resplandecia como um sol.E assim aconteceu, novamente naquele fim de tarde. E ele disse àquele homem: “O contraste entre a luz do dia e as trevas da noite na natureza é semelhante ao próprio homem, que porta a luz do espírito supremo nas bordas da carne do corpo. Entre o espírito eterno e a carne transitória, o equilíbrio encontra-se no coração do homem. Mas, para chegar nele, é preciso, antes, remover as faixas escuras do egoísmo e revelar a luz do divino em si mesmo. É necessária a força do espírito para revelar aquilo que é do espírito.
Meu filho, só se percebe o divino em espírito e verdade. Só o espírito compreende o espírito! Só o amor encontra o amor!”E, novamente ele olhou para o mágico momento do crepúsculo e arrematou: “O Pai Celestial está lá na linha do horizonte e também dentro de cada coisa no universo infinito. Está em nossos corações e no brilho de nossos olhos. Ele está em tudo!”
E, tomado de grande alegria, o Rabi fez uma prece a favor de todos os homens. E seu rosto novamente se transformou em sol. Ali, no alto da montanha, com o brilho da consciência cósmica irradiando de seu rosto, Jesus mais parecia uma criança de luz. No entanto, para ele, as crianças eram os homens. E ele os tomou para si mesmo, dentro de seu coração.
(P.S.: Aqui e agora, nas luzes transitórias do mundo do século 21, numa das maiores cidades do planeta, eu agradeço a Jesus, esse cara tão legal e simples, verdadeiro amigo espiritual dos pequeninos e esquecidos.
Esse Rabi tão querido, que não vejo em cruz nenhuma e nem sei se é barbudo ou branco, pois o que vejo, com os olhos do coração, é um rosto de luz que mais parece um sol. O mesmo sol que iluminou o meu dia, mais uma vez. Esse sol do espírito que só pode ser visto em espírito e verdade.)
Paz e Luz.
Wagner Borges

enviado pela querida amiga Danielle Belini

 

EU SOU AQUELE QUE TU CHAMAS DE JESUS
Quando sentires tristeza por veres os inocentes que sofrem em conseqüência das guerras, e por sentires que nada podes fazer além de orar e pedir, apela por mim: Eu sou a luz que encontrará todo aquele que fenece pela impiedade dos senhores da guerra.
Quando chorares por sentires a dureza do coração humano, que habita no corpo e na mente dos homens poderosos, procura por mim: Eu sou a esperança de todo aquele que ama a vida, que se entristece pela morte, e ora pelos seus irmãos.
Quando te sentires triste por veres que a tua paz está ameaçada, e no teu mundo não há segurança, não tenhas medo, recorre a mim: Eu sou a fé que te inunda de luz, te levanta o ânimo e tranqüiliza o teu espírito.
Quando te sentires desiludido da vida, quando pensares em abandonar os teus ideais, e não sentires amor entre os teus semelhantes, aproxima-te de mim: Eu sou a tua felicidade. O teu sonho e a tua realidade. Sou a certeza de que nunca estarás sozinho.
Quando te sentires decepcionado por não provares de uma afeição sincera e sentires que não és amado, por mais que tu ames, ama-me! Eu sou aquele que te salva dos desesperos, que te ama sem restrições e dou a minha vida por ti.
E quando quiseres saber quem eu sou, pergunta ao teu coração: Eu sou a força que habita o teu ser! Eu sou a luz que ilumina a tua vida! Eu sou a calma que inunda a tua alma! Eu sou a paz que tu queres conquistar! Eu sou o amor que extingue todo o mal! Eu sou o bem acima de tudo e de todas as coisas! Eu sou a tranqüilidade, e tu vais me encontrar!
Quando estiveres na fase dos teus desesperos, não me abandone! Não esqueça de mim! Venha a mim! O meu nome é AMOR. Eu sou a cura para os teus sofrimentos, eu sou o fim dos teus tormentos, eu sou a paz do teu espírito, eu sou aquele que tu chamas de JESUS.

 

 

Libertação

A vida se refaz através do fim de cada ciclo. Seja nas estações do ano,
na vida, pelo aniversário, no fim de um romance, na morte de um filho e
nascimento de outro…A vida está a todo instante se refazendo e na
natureza temos exemplos vivos disso. É preciso deixar partir, para
abraçar o novo.. Deixe que vá suas mágoas, raiva, dores, amores,
tristezas..E permita-se, abra os braços para felicidade, alegria e
amor! Estamos iniciando a reta final de mais um ano romano. Ainda resta
tempo de voce fechar o ano com saldo positivo.Aquele telefonema ao
amigo, a carta escrita à mão, com as curvas de seu pensamento impresso,
ao invés do email ‘ frio’ e automático. Seu cartão de Natal aos
queridos. O abraço que não deu o ano todo, as pazes feitas consigo e com
alguém importante. O perdão.. perdoar-se por erros infantis ou não, o
gesto que podia salvar o dia de alguém, o amor renunciado, a paixão
escondida e as lágrimas noturnas.Ainda há um céu pontilhado por estrelas esperando teu olhar sonhador.Um sol iluminando um dia de verão e uma boa brisa em teus cabelos!Você
ainda tem tempo de estar consigo.. De dar-se um presente, de se amar
mais, de se valorizar mais..Edifique bases emocionais sólidas para
terminar o ano e ter forças de iniciar o outro bem com você e o mundo!
Deixe ir…É preciso ser feliz agora!

 

 

Ano
novo, vida nova! Depois da virada de mais um ano, existe algo diferente
no ar. Já diz o poeta: “Ainda bem que existem janeiros…”. Na mídia,
na rua, no trabalho é comum ouvir alguém dizer que neste ano vai comprar
uma casa, ou viajar para tal lugar, trocar de carro, ou simplesmente
que este ano vai ser diferente!

São sonhos e metas que se
entrelaçam e dão um novo ânimo para a vida. Algo interessante que
descobri nesses dias é a diferença que separa um sonho de uma meta.
Talvez até hoje você só tenha sonhado com o que gostaria de realizar na
vida, mas nunca tenha dado nem um passo concreto para realizar este
sonho, ou seja, está vivendo sem meta.

Segundo a psicóloga e
escritora Danielle Tavares – “Meta é um alvo definido. Um ponto certo
aonde se quer chegar. E pode-se aplicar este conceito nas diversas áreas
da vida: família, profissão, estudo, relacionamento afetivo e social,
economia, finanças pessoais, etc.”

Em clima de recomeço,
considero importante avaliar nossos reais objetivos e reconhecer quais
destes são metas. “Se você não sabe para onde ir, qualquer caminho já
serve.”

Quando não buscamos concretamente o que queremos
ou sonhamos, acabamos “atirando para todos os lados” sem acertar o
alvo. Desse jeito pode-se chegar ao final sem ter o que comemorar, e
isso não é a vontade de Deus para nenhum de seus filhos, inclusive você.

Pergunto-lhe: Você sabe que rumo está dando para sua
vida com o trabalho que realiza agora? Tem buscado no dia a dia o que
realmente deseja alcançar? Se a resposta for negativa, provavelmente
você não esteja feliz, e é possível que sua vida esteja sem sentido. Daí
vem a pergunta: Mas e agora? O que fazer?

Acredito que neste e
em todos os casos, devemos sempre lembrar que nunca é tarde para
recomeçar. Independentemente da idade ou situação em que se esteja, com a
graça de Deus e força de vontade, tudo é possível. Sonhar e querer algo
é importante, mas isso não basta quando se trata de realização. É hora
de traçar metas e dar passos concretos.

Ouvi uma historinha, há
pouco tempo, que me ajudou a entender a diferença entre meta e sonho,
veja só: Havia cinco macacos no galho de uma árvore: dois deles
decidiram pular e pegar algumas bananas que estavam ali perto. Então vem
a pergunta: Quantos macacos permaneceram no galho? A resposta é
simples: os cinco animais continuaram no galho. Sabe por quê? Porque
decidiram pular, mas nenhum deles fez isso de fato.

Precisamos
começar bem o ano, para vivê-lo bem por inteiro. Acredito que definir as
prioridades e dar passos para chegar aonde se quer é um ótimo ponto de
partida. Disso vem a transformação de vida: a partir das atitudes e
preferências concretas do dia a dia. Claro que isso não se consegue de
uma hora para outra, empenho e perseverança são fundamentais. É também
uma questão de escolha e disciplina pessoal. O apóstolo Paulo, em uma de
suas cartas, diz: “Nenhum atleta será coroado, se não tiver lutado
segundo as regras” (II Timóteo 2 , 5).

Que o Senhor nos ensine a buscarmos do jeito certo as metas que queremos alcançar neste ano novo e sempre.

Feliz vida nova para você!

 

Voce é o divino

Feliz Natal…Linda Vida!


“O Divino não está separado de você.
Você é o Divino.
Essa convicção deve crescer em você.
No começo você se considera um mero ser humano.
Depois, gradualmente, você percebe sua divindade potencial.

Finalmente, você percebe sua própria Divindade interior.

Embarque nessa jornada para alcançar a união com o Divino a partir de agora.

O tempo não espera por ninguém.
Concentre todos os seus esforços para realizar Deus.

O requisito principal é a eliminação do ego; sem isso,
a bem-aventurança da Divindade não pode ser experimentada
. Adoração cheia de ostentação,
riqueza, poder e posição não lhe ajudarão na busca espiritual.
Eles não podem conferir paz ou remover o medo que assombra o homem o tempo todo.
Só o homem de fé é completamente livre de medo.
Portanto, desenvolva fé em Deus e leve uma vida dirigida a Deus.
Aquele que está consciente de suas falhas é abençoado.

Igualmente bem-aventurados são aqueles que veem o bem nos outros.”


O amor Divino é o único remédio para todas as dificuldades e misérias que surgem dos desejos insaciáveis e das ambições frustradas do homem.

O amor de Deus é como a luz de um farol.
Ele mostra a direção correta.
Navegue o barco da sua vida em direção ao farol do amor Divino.
Então, você está destinado a alcançar as praias da bem-aventurança.
Você não precisa de qualquer tipo especial de penitência ou meditação.
Medite no amor. Preencha sua mente com amor.
Mesmo enquanto fizer suas tarefas diárias, considere todas como oferendas ao Divino.
Deus é onipresente.
Veja Deus em todas as coisas e em todos os seres.
Deixe que tal amor inabalável esteja protegido em seu coração.
“Instale Deus em seu coração e continue a executar as tarefas que estiverem à mão”. 


O Amor é luz. Ele ilumina seu caminho e ajuda a alcançar a meta.
Sua jornada da vida será prudente e segura quando você levar a luz do Amor com você.
Amor é Deus.
Viva em Amor.
Verdadeiramente falando, você é a própria encarnação do Amor.
Deixe o fluxo do Amor fluir de um coração a outro.
Considere o Amor como sua vida.
Este é seu dever mais importante.
Você pode procurar em qualquer lugar no mundo, mas não pode encontrar nada maior que o Amor.
Você pode conquistar o mundo inteiro com a força do Amor.
Não há nada que você não possa alcançar com o poder do Amor.
O Amor é o poder supremo.
O verdadeiro valor humano reside em compartilhar e experimentar o Amor supremo.
O poder do Amor é incomparável.
Quando você preencher seu coração com Amor, todas as pessoas se tornarão seus irmãos e irmãs.
Você não terá inimigo algum!

Pai…
Mãe…
De olhos mansos:
Sei que estás invisível em todas as coisas.
Que o teu nome me seja doce, a alegria do meu mundo.
Traze-nos as coisas boas em que tens prazer:
o jardim,
as fontes,
as crianças,
o pão e o vinho,
os gestos ternos,
as mãos desarmadas,
os corpos abraçados…
Sei que desejas dar-me o meu desejo mais fundo, desejo que esqueci…
Mas tu não esqueces nunca.
Realiza, pois o teu desejo para que eu possa rir.
Que o teu desejo se realize em nosso mundo, da mesma forma como
ele pulsa em ti.
Concede-nos contentamento nas alegrias de hoje: o pão, a água, o sono…
Que sejamos livres da ansiedade.
Que nossos olhos sejam tão mansos para com os outros como os teus
são para conosco. Porque se formos ferozes não poderemos acolher a
tua bondade.
E ajuda-nos para que não sejamos enganados pelos desejos maus
e livra-nos daquele que carrega a morte dentro dos próprios olhos.
Amém.

*Rubem Alves*

 

Que posso desejar para sua vida?
Que as verdadeiras amizades continuem eternas…
Que as lágrimas sejam poucas e compartilhadas…
Que as alegrias estejam sempre presentes…”
Que os anjos sempre lhe guardem e…
Deus lhe abençoe hoje e sempre!

 

 

 

 

 

A pessoa errada

“Pensando bem
Em tudo o que a gente vê, e vivencia
E ouve …e pensa
Não existe uma pessoa certa pra gente
… Existe uma pessoa
Que se você for parar pra pensar
É, na verdade, a pessoa errada.
Porque a pessoa certa
Faz tudo certinho
Chega na hora certa,
Fala as coisas certas,
Faz as coisas certas,
Mas nem sempre a gente tá precisando das coisas certas.
Aí é a hora de procurar a pessoa errada.
A pessoa errada te faz perder a cabeça
Fazer loucuras
Perder a hora
Morrer de amor
A pessoa errada vai ficar um dia sem te procurar
Que é pra na hora que vocês se encontrarem
A entrega ser muito mais verdadeira
A pessoa errada, é na verdade, aquilo que a gente chama de pessoa certa
Essa pessoa vai te fazer chorar
Mas uma hora depois vai estar enxugando suas lágrimas
Essa pessoa vai tirar seu sono
Mas vai te dar em troca uma noite de amor inesquecível
Essa pessoa talvez te magoe
E depois te enche de mimos pedindo seu perdão
Essa pessoa pode não estar 100% do tempo ao seu lado Mas vai estar 100% da vida dela esperando você Vai estar o tempo todo pensando em você.
A pessoa errada tem que aparecer pra todo mundo
Porque a vida não é certa
Nada aqui é certo
O que é certo mesmo, é que temos que viver
Cada momento
Cada segundo
Amando, sorrindo, chorando, emocionando, pensando, agindo, querendo,conseguindo
E só assim
É possível chegar àquele momento do dia
Em que a gente diz: “Graças à Deus deu tudo certo”
Quando na verdade
Tudo o que ele quer
É que a gente encontre a pessoa errada
Pra que as coisas comecem a realmente funcionar direito pra gente…”
(Luis Fernando Veríssimo)

 

 

 

“Almas conscientes

O Caminho da Auto-Realização com Osho

Este discurso é um marco na obra do Osho, pois foi quando ele pela primeira vez teve suas palavras gravadas e depois publicadas. Este discurso tornou-se o primeiro capítulo do primeiro livro publicado do Osho. Trata-se da palestra introdutória ao Campo de Meditação de Ranakpur que ele conduziu em junho de 1964. O livro, originalmente publicado em hindi com o título Path to Self-Realization, foi recentemente traduzido para o inglês como título The Perfect Way (O Caminho Perfeito).

Antes de tudo, por favor, aceitem o meu amor. Essa é a única coisa com a qual eu posso dar-lhes as boas vindas ao isolamento e reclusão destas montanhas. Na verdade, eu nada mais tenho a dar a vocês. Eu quero compartilhar com vocês o infinito amor que a proximidade com o divino criou em mim. Eu quero distribuí-lo. E a maravilha disso é que quanto mais eu compartilho esse amor, mais ele cresce! Talvez a verdadeira riqueza seja aquela que aumenta com a distribuição. A riqueza que diminui quando é compartilhada, não é verdadeira riqueza, de modo algum.Vocês então aceitam o meu amor?
Eu vejo aceitação em seus olhos e eu vejo também que seus olhos se tornaram repletos de amor em reciprocidade. Amor invoca amor e ódio invoca ódio. Tudo aquilo que nós damos retorna para nós. Essa é uma lei eterna. Assim, tudo aquilo que você deseja receber, é aquilo que você deve dar ao mundo. Você não pode receber flores em retribuição a espinhos.
Eu vejo flores de amor e paz desabrochando em seus olhos. Eu estou em profunda gratidão por isso, agora, nós não somos muitos aqui: o amor nos junta e faz com que muitos se tornem um. Corpos físicos estão separados e continuarão separados, mas existe alguma coisa por trás dos corpos que se encontra no amor, que se torna um através do amor. Só depois dessa unidade, de nos tornarmos um, é que alguma coisa pode ser dita e compreendida. A comunicação só é possível no amor.
Nós nos reunimos nesse lugar isolado para que eu possa dizer algo a vocês e vocês possam me ouvir. Esse dizer e esse ouvir não são possíveis sem uma corrente de amor. As portas do coração somente se abrem para o amor. E lembre-se de que somente quando alguém ouve com o coração, e não com a cabeça, é que o ouvir acontece. Você pode me perguntar, ‘o coração também ouve?’ e eu lhe direi que sempre que o ouvir acontece, é sempre através do coração. A cabeça nunca ouviu qualquer coisa. A cabeça é uma pedra surda. E isso também é verdadeiro quanto ao falar. Somente quando as palavras vêm do coração, elas são cheias de significado. Somente quando as palavras vêm do coração, elas têm a fragrância das flores frescas; se não for assim, elas serão apenas envelhecidas e murchas, elas serão artificiais – flores plásticas.
Eu vou derramar o meu coração em vocês, e se os corações de vocês permitirem-me entrar, haverá um encontro e uma comunicação. E então, naquele momento de encontro, aquilo que as palavras são incapazes de expressar, será comunicado. Muitas coisas não ditas serão ouvidas dessa maneira – aquilo que não pode ser colocado em palavras, aquilo que fica entrelinhas, também será comunicado. Palavras são indicações muito impotentes, mas se ouvidas em paz total da mente e em silêncio, elas se tornam potentes. Isso é o que eu chamo de ouvir com o coração.
Mas, geralmente, mesmo quando ouvimos alguém, nós permanecemos cheios de nossos próprios pensamentos. Esse é o ‘falso ouvir’. Então você não é um shravak, um ouvinte. Você está apenas sob a ilusão de que você está ouvindo, mas de fato você não está. Para ‘ouvir corretamente’, é necessário que a mente esteja em estado de observação, completamente silenciosa. Quando você está apenas ouvindo e nada mais está fazendo, somente então você será capaz de ouvir e compreender, e essa compreensão se tornará luz e transformação dentro de você. Se assim não acontecer, então você não está ouvindo a quem quer que seja, mas apenas a si mesmo, você permanece cercado por um tumulto enfurecido dentro de você. E quando você está envolvido dessa maneira nada pode ser comunicado a você. Então você parece estar vendo, mas não está; você parece estar ouvindo, mas não está.
Cristo disse: ‘aqueles que têm olhos para ver, que vejam. Aqueles que têm ouvidos para ouvir, que ouçam.’ Estava ele dizendo que as pessoas não tinham olhos nem ouvidos? É claro que elas tinham olhos e ouvidos, mas a mera presença de olhos e ouvidos, não é suficiente para ver e ouvir. Algo mais é necessário e sem isso a existência ou não existência de olhos e ouvidos dá no mesmo. Aquele algo mais é o silêncio interior e a consciência observadora. Somente quando essas qualidades estão presentes é que as portas da mente se abrem e algo pode ser dito e ouvido.
Eu espero que vocês me ouçam dessa maneira durante o período deste campo de meditação. Uma vez que vocês tenham aprendido isso, isso se tornará sua companheira por toda a vida. Isso será o suficiente para livrá-lo de preocupações triviais.Você poderá se despertar para o grande universo misterioso externo e você poderá experienciar a eterna e infinita luz de consciência escondida por trás do tumulto de sua mente.
Ver corretamente e ouvir corretamente não são meras necessidades para este campo de meditação, são, na verdade, os pilares para todo um viver corretamente. Da mesma maneira que tudo é claramente refletido através de um lago totalmente calmo, sem ondas, também é verdade que o divino será refletido em você quando você se tornar calmo e quieto como o lago. Eu estou vendo um grande silêncio crescendo em vocês. Os seus olhos – a sede pela vida que eu vejo em vocês – estão me convidando a dizer aquilo que eu quero dizer. Eles estão me apressando a revelar as verdades que eu tenho visto e que mexeram com minha alma, porque os seus corações estão ansiosos e impacientes por compreendê-las.Vendo o quanto vocês estão desejosos e prontos, meu coração está também pronto para se derramar em vocês. Nessa paz que nos circunda, com o estado cheio de paz de suas mentes, eu certamente serei capaz de dizer o que quero dizer para todos vocês. Se eu tivesse encontrado ouvidos surdos diante de mim, eu iria me segurar. A luz não permanece do lado de fora quando ela encontra as portas de sua casa fechadas? Da mesma forma eu fico parado do lado de fora de muitas casas. Mas é um bom sinal as suas portas estarem abertas. É um bom começo.
Amanhã de manhã começaremos a nossa jornada de experimento de meditação por cinco dias. Como suporte para isso, eu gostaria de dizer algumas poucas coisas para vocês. Para a meditação, para a percepção da verdade, o solo de suas mentes tem que estar preparado da mesma maneira que uma pessoa precisa preparar o solo para cultivar flores. Assim eu gostaria que vocês compreendessem alguns sutras, alguns pontos chaves.
O primeiro sutra é: viva no presente. Durante os dias do Campo não se deixem levar pelo fluxo mecânico de seus pensamentos a respeito do passado e do futuro. É por causa disso que o momento vivo, o momento que realmente existe, é desperdiçado e se perde desnecessariamente. Nem o passado nem o futuro existem. Um é apenas a memória, o outro é apenas imaginação. Somente o presente é o momento vivo e verdadeiro. E se é para se conhecer a verdade, ela só pode ser conhecida se estivermos no presente.
Durante esses dias de meditação, mantenham-se conscientemente livres do passado e do futuro. Aceite que eles não existem. Somente o momento em suas mãos, o momento em que você está, existe. Você tem que viver nele, e vivê-lo totalmente.
Esta noite durma tão profundo como se todo o seu passado tivesse sido deixado de lado. Morra para o passado. E de manhã, acorde como um novo homem numa nova manhã. Não deixe que acorde aquele mesmo que foi para a cama. Deixe que aquele tenha um bom sono. Deixe que no lugar dele acorde o que está sempre novo e sempre revigorado.
Mantenha continuamente em sua lembrança por todo o tempo esse viver no presente, e fique alerta para que aquele pensamento mecânico a respeito do passado e do futuro nem volte de novo. Para isso, é suficiente permanecer atento. Se você permanecer atento, ele não vai se desencadear. A consciência destrói o hábito.
O segundo sutra é: viva naturalmente. Todo o comportamento do homem é artificial e formal. Nós sempre nos mantemos encobertos por um falso manto e por causa dessa coberta nós gradualmente esquecemos nossa própria realidade. Você tem que deixar cair essa pele falsa e jogá-la fora. Nós nos reunimos aqui, não para encenar um drama, mas para nos conhecermos, para compreendermos a nós mesmos. Da mesma forma que os atores de uma peça removem seus trajes e maquiagem e colocam-nos de lado após a apresentação, nestes cinco dias, você tem que remover suas falsas máscaras e jogá-las fora. Deixe que aquilo que é original e natural em você venha à tona e viva nisso. A meditação somente cresce numa vida simples e natural.
Durante esses dias de meditação, saiba que você não tem que manter nenhuma posição, você não é especial, você não tem qualquer status. Jogue fora todas essas máscaras. Você é simplesmente você, um ser humano comum, sem nome, sem status, sem classe, sem família, sem casta – simplesmente uma pessoa sem nome, um indivíduo muito comum. Você tem que viver desse jeito. E lembre-se que essa é também a nossa verdadeira realidade.
O terceiro sutra é: viva só. A vida de meditação nasce em completa solidão, quando a pessoa está totalmente só. Mas geralmente o homem nunca está só. Ele está sempre cercado pelos outros. E quando ele não está no meio da multidão externa, ele está em uma multidão interna. Essa multidão tem que ser dispersada.
Não permita que a multidão se reúna dentro de você. E quanto ao lado de fora, viva por si próprio como se você estivesse sozinho neste Campo. Você não tem que manter relacionamentos com ninguém mais. No meio desses incontáveis relacionamentos vocês se esqueceram de vocês mesmos. Todos esses relacionamentos – nos quais vocês são amigos ou inimigos de alguém, pai ou filho, esposa ou marido – absorveram vocês de tal maneira que vocês são incapazes de conhecer a si mesmos em suas próprias individualidades.
Alguma vez vocês já tentaram imaginar o que vocês são, fora de todos esses seus relacionamentos? Alguma vez vocês já se livraram das vestimentas desses relacionamentos e viram a si mesmos sem elas? Distancie vocês mesmos de todos esses relacionamentos e vejam que vocês não são filhos de seus pais e mães, não são os maridos de suas esposas, nem o pai de suas crianças, nem o amigo de seus amigos, nem o inimigo de seus inimigos – e o que sobra é o seu verdadeiro ser. Aquela entidade remanescente é o que você é em si mesmo. Durante esses dias você tem que viver sozinho nesse ser.
Seguindo esses sutras, a sua mente chegará a um estado, o qual é uma necessidade absoluta para a compreensão da paz e da verdade. Ao lado desses três sutras, eu quero explicar a vocês os dois tipos de meditação que nós começaremos a fazer a partir de amanhã de manhã.
A primeira meditação é para a manhã. Durante essa meditação você deverá manter sua coluna espinhal ereta, fechar os seus olhos e manter o seu pescoço reto. Seus lábios devem estar fechados e sua língua deve tocar o céu da boca. Respire devagar, mas profundamente. Mantenha a sua atenção próxima do umbigo. Mantenha-se alerta quanto ao tremor que você sentir no umbigo devido à respiração. Isso é tudo o que vocês têm que fazer. Esse experimento acalma a mente e esvazia os pensamentos completamente. A partir desse vazio a pessoa finalmente entra dentro de si mesma.
A segunda meditação é para a noite. Estenda seu corpo no chão confortavelmente e deixe todos os seus membros se relaxarem completamente. Feche seus olhos e por cerca de dois minutos sugira a você mesmo que o corpo está relaxando. Gradualmente o corpo se tornará relaxado. Então, por dois minutos sugira que sua respiração está se tornando quieta e sua respiração se tornará quieta. Finalmente por outros dois minutos, sugira que seus pensamentos estão parando. Essa sugestão firme o levará a um completo relaxamento, tranqüilidade e vazio. Quando a mente se tornar completamente calma, esteja completamente acordado em seu ser interior e seja uma testemunha dessa paz. Esse testemunhar levará você ao seu ser.
Vocês devem fazer essas duas meditações. Na verdade elas são estratagemas artificiais e vocês não devem se agarrar a elas. Com ajuda delas, a inquietação das mentes se dissolve. E da mesma forma que não mais precisamos da escada ao completarmos a subida, um dia nós também iremos deixar esses estratagemas.
A meditação atinge a perfeição no dia em que ela se torna desnecessária. Esse estado é o verdadeiro samadhi, iluminação.
Agora a noite já está avançada e o céu está coberto de estrelas. As árvores e os vales já foram dormir. Nós também vamos dormir agora. Como tudo isso é quieto e silencioso! Nós também vamos nos fundir nesse silêncio. Num sono profundo, num sono sem sonhos, nós vamos para o lugar onde o divino habita. Esse é o samadhi espontâneo, não-consciente que a natureza deu para nós. Através da meditação, nós também alcançamos esse mesmo espaço, mas com a meditação nós permanecemos conscientes e alertas. Essa é a única diferença. E essa é realmente uma grande diferença. Numa situação nós vamos dormir e na outra nós nos tornaremos acordados.
Vamos agora dormir com a esperança de que o despertar também se tornará possível. Quando a esperança é acompanhada por determinação e empenho, ela certamente se realiza. É possível que a existência nos guie ao longo do caminho. Essa é a minha única prece.”

OSHO –

 

 

 

 

Conte-me, o que você vai ganhar neste Natal?
Há uma infinidade de belíssimos presentes que podemos ganhar!
Um iPhone, iPod, Ipad, uma Tv a led, talvez um daqueles potentes
mini carros ingleses, ou quem sabe um italiano? Ou até uma viagem
magnífica digna de príncipes!
Houve quatro vezes em que também pedi presentes ao Papai Noel.
Nas semanas antecedentes ao Natal dos meus cinco aos oito anos,
desenhava freneticamente o presente que queria ganhar, envelopava
e colocava carinhosamente o envelope debaixo da cama.
Quanta alegria, quanta esperança, quanta ansiedade naquelas noites!
Tempos depois, nas semanas que antecederam o Natal me levaram a
refletir Naquele que nasceu nos rincões de Belém.
Naquele cuja mãe grávida poderia andar sobre liteiras de ouro e mil
escravos à sua disposição como Cleópatra, mas optou por andar sobre
um jumento dentro do ventre da mãe.
Naquele que poderia nascer num palácio como o de Saddan Hussein,
mas preferiu uma caverna perdida no meio do deserto.
Naquele que poderia governar o mundo sentado num trono de ouro
cravejado de cristais como o de Muammar Kadhafi, mas preferiu sen-
tar numa pedra e conversar com as crianças.
Naquele que poderia ter todos os presentes do mundo, mas recebeu
apenas um pouco de ouro, simbolizando a dignidade de um Rei, um
pouco de incenso significando Sua Divindade e Mirra, resina medicinal
odorífera, anunciando a Sua Pureza e Seu Profetismo.
Foi chamado Jesus de Nazaré, mas ficou conhecido como Jesus Cristo.

[…]

Voltando aos dias vinte e cinco de dezembro dos meus cinco a oito anos,
lembro-me que ia cabisbaixo indagar ao meu avô porque Papai Noel não
trouxera meu presente e ele, sem olhar para mim pois estava por demais
ocupado preparando o café da manhã, respondia “Ora, você já ganhou
muitos presentes este ano!” “Que presentes???” pensava.
Certo Natal, a mesma cena se repetiu, mas vi pelo canto dos meus olhos
uma lágrima escorrendo pelas rugas do meu avô, nunca mais pedi nada
ao Papai Noel… eu tinha então, oito anos.
Não tonha percebido qtos presentes havia recebido do meu avô em todos
aqueles anos: consideração humana, amor aos animais e à natureza,
humildade, agradecimento por mais um dia de vida saudável, agradecimentos
aos antepassados, persistência, honra, dignidade, fé, devoção a Deus e uma
máxima budista adotado por George Lucas na série Guerra nas Estrelas, …
“Tikará Dashitê Kudassai!” Que a Força Esteja com Você!
Quanta sabedoria, quanta iluminação, quanta saudade daqueles tempos em
que ganhava os presentes de meu avô e, ao me deparar com os ensinamentos
de Jesus, O Cristo, descobrir que somos todos iguais perante Deus, e assim,
que a nossa passagem pela Terra não pode terminar num simples ponto final,
mas em reticências…
Mas agora, me conte… o que é mesmo que você vai ganhar neste Natal?

Yukio Haranaka – é massagista e acupunturista há 35 anos, professor em
MTC – Medicina Tradicional Chinesa, jornalista, palestrante e escritor.