• Não acuse o irmão que parece mais abastado. Talvez seja simples escravo de compromissos.

  • Não condene o companheiro guindado à autoridade. É provável seja ele mero devedor da multidão.

  • Não inveje aquele que administra, enquanto você obedece. Muitas vezes, é um torturado.

  • Não menospreze o colega conduzido a maior destaque. A responsabilidade que lhe pesa nos ombros pode ser um tormento incessante.

  • Não censure a mulher que se apresenta suntuosamente. O luxo, provavelmente, lhe constitui amarga provação.

  • Não critique as pessoas gentis que parecem insinceras, à primeira vista. Possivelmente, estarão evitando enormes crimes ou grandes desânimos.

  • Não se agaste com o amigo mal-humorado. Você não lhe conhece todas as dificuldades íntimas.

  • Não se aborreça com a pessoa de conversação ainda fútil. Você também era assim quando lhe faltava experiência.

  • Não murmure contra os jovens menos responsáveis. Ajude-os, quanto estiver ao seu alcance, recordando que você já foi leviano para muita gente.

  • Não seja intolerante em situação alguma. O relógio bate, incessante, e você será surpreendido por inúmeros problemas difíceis em seu caminho e no caminho daqueles que você ama.

Francisco Cândido Xavier. Da obra: Agenda Cris

tã.

Anúncios