De joelhos sobre a Terra, mergulho minha consciência em meu coração.

Em concentração, procuro alegria, semente sagrada pelo Grande Espírito em mim semeada, à semelhança da vida multiplicada.

Em meu coração habita esta chama, sou filha da Terra, irmã das estrelas, meu pai é o Sol.

De joelhos na Terra, em prece silenciosa, me irmano ao Criador, num rogativo de paz.

Peço paz ao Senhor da Criação, peço a paz do universo para que abrace o planeta Terra e restabeleça a harmonia dos elementos.

Aqui, do coração das verdes florestas, de joelhos sobre a Terra vos peço meu Pai, protegei a Floresta!

Sua verde presença representa a esperança da humanidade.
Confortai vossos filhos. Vós tenhais piedade!

É tão linda a floresta, com todos seus seres!

Suas fontes de águas, nascentes cristalinas, cantam doces canções, dão conforto a seus filhos, vão nascendo, nascendo, vão formando seus rios, vão correndo, correndo, até chegar no mar.

Tantas formas de paz e de revelação. Tem os lagos serenos e profundos, tem os igarapezinhos e tem as cachoeiras.

Todos os animaizinhos, todos os passarinhos, os bichos bem grandes, os homens, as mulheres e as criancinhas, e também as plantinhas, as grandes árvores, os cipós, todos seres, recebem o frescor desta vida que brota da Terra.

As nascentes das águas representam a vida. Ó! Meu Criador, não as deixe secar! O perfume das flores, o canto da avezinhas e das rãzinhas, esta orquestra divina, precisam das águas para poder viver e continuar esta bela missão de sempre vos louvar.

Precisam das águas e precisam do ar, deste ar muito puro que nos dá o alento e o discernimento de vos adorar.

Ó! Grande Pai, soprai vossos ventos sobre o planeta Terra, afastai estas nuvens de esquecimento que escurecem as mentes e os corações da humanidade.

De joelhos na Terra, eu peço, Ó! Grande Rei, curai a doença da humanidade, o esquecimento da vossa verdade.

Ó! Fogo Sagrado, essência divina, brilhai vossa chama de claridade, despertai a memória da humanidade.

 

Anúncios